Publicado em Ensino Médio, Exercícios, Literatura, Músicas

Arcadismo – Exercícios

Casa No Campo

Elis Regina

Eu quero uma casa no campo

Onde eu possa compor muitos rocks rurais

E tenha somente a certeza

Dos amigos do peito e nada mais

Eu quero uma casa no campo

Onde eu possa ficar no tamanho da paz

E tenha somente a certeza

Dos limites do corpo e nada mais

Eu quero carneiros e cabras pastando solenes

No meu jardim

Eu quero o silêncio das línguas cansadas

Eu quero a esperança de óculos

Meu filho de cuca legal

Eu quero plantar e colher com a mão

A pimenta e o sal

Eu quero uma casa no campo

Do tamanho ideal, pau-a-pique e sapé

Onde eu possa plantar meus amigos

Meus discos e livros

E nada mais.

Como é o estilo de vida apresentado na canção? Como é a relação com a natureza?

Arcadismo

O Arcadismo surgiu na Europa no século XVIII, essa escola literária exalta a natureza, retorna a antiguidade clássica e idealiza o amor e a mulher.

O nome “Arcadismo” faz referência a Arcádia região da Grécia antiga onde viviam pastores. A principal característica desse estilo é  o bucolismo (vida no campo) Entre os principais lemas Árcades temos:

  1. Fugere Urbem (Fuga da Cidade);
  2. Locus Amoenus (Lugar ameno);
  3. Carpe Diem (Aproveitar o dia);
  4. Inutilia Truncat (Cortar o inútil);
  5. Aurea Mediocritas (Auréa medíocre).

Arcadismo no Brasil

O Arcadismo no Brasil esteve presente principalmente nas Minas Gerais e teve seu início no ano 1768, fase do apogeu áureo no Brasil. Alguns dos escritores dessa fase literária participaram da Inconfidência Mineira, entre eles Tomás Antônio Gonzaga. Os escritores árcades se utilizavam de pseudônimos pastoris, o que caracteriza o fingimento pastoril uma das características mais evidentes do Arcadismo.

Veja no quadro os principais autores árcades, seus pseudônimos pastoris e obras.

Autor Pseudônimo Obra(s)
Tomás Antônio Gonzaga Dirceu, Critilo Marília de Dirceu e Cartas Chilenas
Basílio da Gama Termindo Sipílio O Uraguai
Frei José de Santa Rita Durão xxx Caramuru
Cláudio Manoel da Costa Glauceste Satúrnino e Alceste Obras Poéticas
Alvarenga Peixoto Alceu e Eureste Fenício À Dona Bárbara Heliodora
Silva Alvarenga Alcindo Palmireno Glaura

Explorando o Estilo

  1. Os árcades possuíam alguns lemas que norteavam a expressão poética do estilo. Leia o trecho à seguir e aponte os lemas árcades encontrados.

“Eu, Marília, não sou algum vaqueiro, Que vive de guardar alheio gado; / De tosco trato, de expressões grosseiro, / Dos frios gelado e dos sóis queimado. Tenho próprio casal e nele assisto / Dá-me vinho, legume, fruta, azeite; / Das brancas ovelhinhas tiro o leite, / E mais as finas lãs, de que me visto. / Graças, Marília bela, Graças à minha Estrela!”

  1. Observe outro trecho de Marília de Dirceu:

“Os seus compridos cabelos,

que sobre as costas ondeiam,

são os que Apolo mais belos,

mas de loura cor não são.

Têm cor negra da noite;

e com o branco do rosto

fazem, Marília, um composto

de mais formosa união.”

Existe no destacado trecho um retorno aos clássicos? Justifique utilizando-se do texto.

(UNOPAR-PR)

Oh! Que saudades

Do luar da minha terra

Lá na serra branquejando

Folhas secas pelo chão

Este luar cá de cidade

Tão escuro não tem aquela saudade

Do luar lá do sertão!

Os versos acima ilustram características do Arcadismo:

a)  exaltação à natureza da terra natal.

b)  declarada contenção dos sentimentos.

c)   expressão de sentimentos universais.

d)  volta ao passado para escapar das agruras do presente.

e)   oposição entre o campo e a cidade.

  1. Entende-se por literatura árcade:

a) A linha européia de produção literária com linguagem rebuscada.

b) A linha européia de produção literária com volta aos padrões clássicos.

c) A produção de poesia lírico-amorosa da geração byroniana.

d) A produção de poesia lírica nacional com retórica aprimorada.

  1. Qual alternativa apresenta uma associação errada:

a) Barroco e Cultismo

b) Arcadismo e Iluminismo

c) Arcadismo e anti-classicismo

d) Arcadismo brasileiro e Minas Gerais

e) Arcadismo e Antropocentrismo.

Anúncios
Publicado em Ensino Médio, Literatura

Trovadorismo (com exercícios)

  1. Leia a música e responda as questões.

Atrás da Porta

Quando olhaste bem nos olhos meus
E o teu olhar era de adeus
Juro que não acreditei, eu te estranhei
Me debrucei sobre teu corpo e duvidei
E me arrastei e te arranhei
E me agarrei nos teus cabelos
Nos teu peito, teu pijama
Nos teus pés ao pé da cama
Sem carinho, sem coberta
No tapete atrás da porta
Reclamei baixinho
Dei pra maldizer o nosso lar
Pra sujar teu nome, te humilhar
E me vingar a qualquer preço
Te adorando pelo avesso
Pra mostrar que ainda sou tua

a)      Quais os sentimentos que podemos ver nessa música?

b)      A pessoa, que “fala” na música, é um homem ou uma mulher? Justifique.

c)       Você sabe quem escreveu essa canção? Caso saiba, escreva o nome de quem a compôs.

O trovadorismo foi a primeira manifestação literária de língua portuguesa, tal manifestação foi marcada pelas composições líricas destinadas ao canto. O trovadorismo surgiu no século XII, na época medieval, na idade feudal, por isso, termos como “vassalagem amorosa” são usados na poesia, uma vez que, o amor distante, representado em algumas poesias líricas do trovadorismo, reflete a relação entre o vassalo e o senhor do feudo.

Na época do trovadorismo, Portugal começava a se reconhecer como nação, por isso grande parte das composições estão em galego-português (uma língua “mesclada”, entre o espanhol e o português). A canção da Ribeirinha foi o marco que iniciou o trovadorismo lusitano.

Nessa fase, a poesia era escrita para ser cantada,  acompanhada da lira, alaúde, harpa e outros instrumentos da época. As cantigas eram reunidas em livros chamados cancioneiros.

As cantigas trovadorescas, quanto ao tema, são divididas em dois tipos: Satíricas (cantigas de mal dizer e de escárnio) e Líricas (Cantigas de amor e de amigo).

Lírica Amor Poema cujo eu – lírico é masculino e se dirige a uma mulher, geralmente da nobreza e casada, cujo o nome não é revelado. O homem sofre interiormente (coita de amor) e toma a posição de “servo” da mulher amada (Vassalagem amorosa).Eu-lírico – masculino
Amigo Neste tipo de texto, quem fala é a mulher e não o homem. O trovador (homem) compõe a cantiga, mas o ponto de vista é feminino, mostrando o outro lado do relacionamento amoroso – o sofrimento da mulher à espera do namorado (chamado “amigo”), a dor do amor não correspondido, as saudades, os ciúmes, as confissões da mulher a suas amigas, etc. Os elementos da natureza estão sempre presentes, além de pessoas do ambiente familiar, evidenciando o caráter popular da cantiga de amigo.Eu-lírico – feminino
Satírica Mal dizer As de maldizer, utilizam uma linguagem mais vulgar, referindo-se diretamente a suas personagens, com agressividade e com duras palavras, que querem dizer mal e não haverá outro modo de interpretar.
Escárnio As cantigas de escárnio são críticas, utilizando de sarcasmo e ironia, feitas de modo indireto, algumas usam palavras de duplo sentido, para que, não entenda-se o sentido real.

As cantigas trovadorescas também podem ser divididas em cantigas de refrão (caracterizadas por um estribilho repetido no final de cada estrofe) e cantigas de maestria (uma cantiga mais trabalhada, sem repetições).

Veja alguns exemplos de cantigas:

Cantiga de amor“Senhor fermosa, pois me non queredes

Creer a coita em que me tem amor,

Por meu mal é que tan bem parecedes

Por meu mal vos filhei por senhor

E por meu mal tan muito bem oi

dizer de vós, por meu mal vos vi

pois meu mal é quanto bem vós havedes.”

Cantiga de amigo“Ai flores, ai flores do verde pino,

se sabedes novas do meu amigo!

ai Deus, e u é?

Ai flores, ai flores do verde ramo,

se sabedes novas do meu amado!

ai Deus, e u é?

Se sabedes novas do meu amigo,

aquel que mentiu do que pôs comigo!

ai Deus, e u é?

Se sabedes novas do meu amado,

aquel que mentiu do que mi há jurado!

ai Deus, e u é?”

 

Cantiga de escárnioAi, dona fea, foste-vos queixar

que vos nunca louv[o] em meu cantar;

mais ora quero fazer um cantar

em que vos loarei toda via;

e vedes como vos quero loar:

dona fea, velha e sandia!…

Comparativo entre as Cantigas

Cantiga de amorOrigem provençal;

Eu-lírico masculino;

Objeto desejado: Dama, “a senhor”;

Ambiente palaciano (Aristocrático);

Homem se presta a vassalagem amorosa.

Cantiga de amigoOrigem galego-portuguesa;

Eu-lírico feminino;

Objeto desejado: O amigo;

Ambiente campestre;

Mulher sofre pelo amigo que está ausente.

  1. Na canção “Atrás da porta” Chico Buarque nos remete as cantigas trovadorescas. Que tipo específica de cantiga ele nos remete? Justifique sua resposta.

“Ai, flores do verde ramo,

Se sabedes novas do meu amado?

Ai, Deus, e u é?”

Escreva as palavras que completam os espaços:

Os versos acima pertencem a uma ____________________________, característica do ________________________ português, estética literária dos séculos XII, XIII e XIV.

  1. Nas cantigas de amor,

a)       o trovador expressa um amor à mulher amada, encarando-a como um objeto acessível a seus anseios.

b)       o trovador velada ou abertamente ironiza personagens da época.

c)       o “eu-lírico” é feminino, expressando a saudade da ausência do amado.

d)       o poeta pratica a vassalagem amorosa, pois, em postura platônica,expressa seu amor à mulher amada.

e)       existe a expressão de um sentimento feminino, apesar de serem escritas por homens.

  1. Marque V para verdadeiro e F para falso.

(    ) As cantigas de mal dizer e de escárnio pertencem a lírica trovadoresca.

(    ) As cantigas de amigo possuem um ambiente palaciano e o eu-liríco é feminino, apesar de serem escritas por homem.

(    ) As cantigas de amor possuem um ambiente palaciano e suas características principais são a vassalagem amorosa e a coita de amor.

(    ) A canção da Ribeirinha iniciou o trovadorismo português.

(    ) As cantigas de amigo, em geral, possuem um eu-lírico feminino, apesar de serem escritas por homens. A temática principal, quase sempre, é o sofrimento da mulher pelo amado que partiu.

  1. Assinale a alternativa incorreta a respeito do Trovadorismo em Portugal.
    a) Durante o Trovadorismo, ocorreu a separação entre poesia e a música.
    b) Muitas cantigas trovadorescas foram reunidas em livros ou coletâneas que receberam o nome de cancioneiros.
    c) Nas cantigas de amor, há o reflexo do relacionamento entre o senhor e vassalo na sociedade feudal: distância e extrema submissão.
    d) Nas cantigas de amigo, o trovador escreve o poema do ponto de vista feminino.
    e) A influência dos trovadores provençais é nítida nas cantigas de amor galego-portuguesas.
  2. “Coube ao século XIX a descoberta surpreendente da nossa primeira época lírica. Em 1904, com a edição crítica e comentada do Cancioneiro da Ajuda, por Carolina Michaëlis de Vasconcelos, tivemos a primeira grande visão de conjunto do valiosíssimo espólio descoberto” (Costa Pimpão)
    a) Qual é essa primeira época lírica portuguesa?
    b) Que tipos de composições poéticas se cultivavam nessa época?

    1. Assinale a alternativa incorreta

a) Na cantiga de amigo, o “eu-lírico” feminino lamenta a ausência do amigo distante;
b) Na cantiga de escárnio, a sátira é feita indiretamente e usam-se a ironia e as ambigüidades;
c) Na cantiga de maldizer, o erotismo pode estar presente;
d) Na cantiga de amor, o apelo erótico é purificado e ocorre a idealização do amor;
e) Na cantiga de amigo, usa-se o refrão, mas não existe paralelismo.

 

GABARITO