Publicado em Ensino fundamental, Orações, Resposta aos leitores

Gabarito das questões sobre Intertextualidade + Predicativo

Nesses últimos dias tive no blog algumas perguntas. Vejamos:

Claudia

Professora, gostaria, se possível, q a sra. me enviasse o gabarito .
Obrigada. (SIC)

Como solicitado, aqui está o gabarito das questões sobre interpretação de texto e intertextualidade!

1. Não, pois a princesa preza por sua independência e não tem a idéia de felicidade relacionada à figura masculina (como costuma acontecer nos contos de fada).
2. Ela terminaria com o príncipe e “viveriam felizes para sempre”.
3. Construir um lar feliz no qual ela viveria em função de cuidar dele e da família.
4. Ser independente. (Essa resposta é pessoal,portanto existem diversas respostas certas).
5. Independente, cheia de auto-estima. As características da princesa condizem com sua atitude final, pois ela preza por sua liberdade.
6. Paródia, pois perverte a idéia do texto original. A idéia principal do texto de Veríssimo é completamente diferente da idéia do clássico conto de fadas.
7. Sim, pois a princesa tem uma atitude das mulheres do nosso século ao prezar por sua liberdade.
8. C
9. Trata-se de uma paráfrase,pois a idéia existente no quadrinho é semelhante àquela que encontramos no texto de Veríssimo.

Claro que todas as respostas podem ter variações, porém devem respeitar uma certa lógica.
Espero ter ajudado.

Karolina

Simone, pode me ajudar a entender melhor predicativo do sujeito e do objeto , estou no 9o ano do ensino fundamental e sinto dificulddae nesses assuntos.
Obrigada desde já.(SIC)

O Predicativo atribui uma qualidade ou estado a um termo que pode ser um objeto ou o sujeito, sendo assim, o predicativo pode ser do sujeito, do objeto direto ou do objeto indireto, depende qual a função do substantivo que ele qualifica.

Predicativo do sujeito
Vejamos a frase:
Mariana está alegre.
Mariana = Sujeito – Está = Verbo de ligação – Alegre = Predicativo do sujeito
O adjetivo ALEGRE indica um estado de MARIANA que, nessa oração,  é o nosso sujeito, isto é, o ser de quem se declara alguma coisa.
Em geral, quando temos SUJEITO + VERBO DE LIGAÇÃO + PREDICATIVO DO SUJEITO temos um predicado nominal.

Predicativo do Objeto
Vejamos a frase:
Eu vi Mariana alegre.
Eu = Sujeito – Vi = Verbo transitivo direto – Mariana = Objeto Direto – Alegre = Predicativo do objeto direto.
Todo verbo transitivo direto (VTD) pede como complemento um Objeto direto (OD). Se temos um VTD, um OD e um adjetivo que qualifica esse OD, então esse adjetivo que qualifica o OD é o nosso Predicativo do objeto direto.
Se no lugar do verbo VI (que é um VTD), tivéssemos o verbo SIMPATIZAR (que é um VTI – Verbo transitivo indireto)? Teríamos então a seguinte frase:
Eu simpatizo com Mariana alegre.
Como o verbo simpatizar é transitivo indireto ele não “transita diretamente”, isto é, ele precisa de uma preposição, nesse caso o COM, então Mariana é o nosso objeto direto, uma vez que é complemento de um VTI. A palavra ALEGRE continua sendo predicativo do objeto, porém agora ele está qualificando um objeto indireto, logo temos ALEGRE como predicativo do objeto indireto.
Em geral, quando temos predicativo do objeto temos um predicado verbo-nominal.

Caso tenha alguma dúvida e queira enviar para o site, pode fazê-lo através dos comentários ou pelo formulário na página Contato.

Anúncios
Publicado em Ensino fundamental, Orações

Orações Subordinadas

Orações Subordinadas Substantivas

Oração subordinada substantiva é aquela que tem valor de substantivo e exerce uma função sintática em relação à outra oração, a chamada oração principal.

Eu quero que o senhor compre algumas verduras.

Eu quero = Oração principal

Que o senhor compre algumas verduras. = Oração subordinada

Querer = VTD – Quer alguma coisa… ————- Eu quero (ISSO).

ISSO = Objeto Direto —————————- ISSO = que o senhor compre algumas verduras.

Que o senhor compre algumas verduras = Oração subordinada substantiva objetiva direta

Dica: Quando uma oração é subordinada substantiva, geralmente, pode ser substituída por ISSO, ISTO, AQUILO.

As orações subordinadas substantivas podem ser classificadas em Subjetiva, Objetiva direta, Objetiva indireta, Predicativa, Completiva nominal e Apositiva.

Subjetiva

A oração subordinada desempenha função de sujeito.

Exemplo: É bom que você aprenda português.

(Isso) é bom. ——— ISSO = Que você aprenda português = Sujeito -> Oração subordinada substantiva subjetiva.

Dica: Alguns verbos, em geral, tem como sujeito uma oração subordinada substantiva. São eles: Acontecer, constar, cumprir, importar, ocorrer, parecer.

Algumas expressões também possuem, em geral, como sujeito uma oração subordinada substantiva como, por exemplo: É bom, é claro, parece certo.

Objetiva Direta

A oração subordinada desempenha função de objeto direto.

Exemplo: Os alunos pediram que a prova fosse adiada.

Pedir = VTD ——- Pedir alguma coisa…

Os alunos pediram (Isso). ——— ISSO = Que a prova fosse adiada = Objeto Direto -> Oração subordinada substantiva objetiva direta.

Objetiva Indireta

A oração subordinada desempenha função de objeto indireto.

Exemplo: Os alunos gostam de fazer trabalhos em grupo.

Gostar = VTI ——- Gostar de alguma coisa…

Os alunos gostam (De + Isso – Disso). ——— DISSO = De fazer trabalhos em grupo. = Objeto Indireto -> Oração subordinada substantiva objetiva indireta.

Predicativa

A oração subordinada desempenha função de predicativo do sujeito.

Exemplo: A verdade é que todos estudaram.

Sujeito + Verbo de ligação + Predicativo do sujeito

A verdade = Sujeito —– é = Verbo de Ligação ——Que todos estudaram. = Predicativo do Sujeito.

Oração subordinada substantiva predicativa.

Completiva Nominal

A oração subordinada desempenha função de complemento nominal.

Exemplo: Ela não tinha dúvida que iria tirar dez.

Dúvida -> Substantivo/ Nome

Ela não tinha dúvida (Disso). ————– DISSO = Que iria tirar dez.

Apositiva

A oração subordinada desempenha função de Aposto.

Exemplo: Todos queriam a mesma coisa: Que eu fosse bem nas provas.

Todos queriam a mesma coisa: (Isso) ————————- ISSO = Que eu fosse bem nas provas.

Lembre-se: Aposto geralmente vêm depois de dois pontos ou entre vírgulas como forma de explicar algo citado.

Orações Subordinadas Adjetivas

Oração subordinada adjetiva é aquela que tem valor de adjetivo e cumpre o papel de determinar um substantivo antecedente.

As alunas que não fizeram a prova devem procurar o professor.

As alunas, que não fizeram a prova, devem procurar o professor.

– Na primeira frase não há vírgulas, por isso restringe, isso é, apenas as alunas que não fizeram a prova devem procurar o professor.

– Na segunda frase há vírgulas, explica quem são as alunas que devem procurar o professor.

As Orações subordinadas adjetivas podem ser Restritivas ou Explicativas.

Restritivas

São orações que delimitam, restringem ou particularizam o sentido de um nome. Funcionam como adjunto adnominal.

Os alunos que gostam de estudar têm boas notas.

Explicativa

Acrescentam uma informação ao termo antecedente, dessa forma generalizam ou universalizam o sentido de tal termo.

Aqueles alunos, que não gostam de estudar, não têm boas notas.

Orações Subordinadas Reduzidas

Essas orações não são introduzidas por conectivos.

  • · Reduzida de Infinitivo: É necessário gostar de português. = É necessário que se goste de português.
  • · Reduzida de Particípio: Fiquei surpresa com a casa, pintada de branco. = Fiquei surpresa com a casa, que pintaram de branco.
  • · Reduzida de gerúndio: Ele encontrou o menino estudando. = Ele encontrou o menino que estudava.